O cacau e a geleia real

Continuando os posts temáticos sobre suplementação, a partir dos 12 e 13 meses, iniciamos a oferta de cacau e geleia real diariamente à Luisa. O cacau, na forma de sementes secas e orgânicas, iniciamos aos 12 meses, uma semente batida na vitamina da manhã. A recomendação do Dr. Zan é que seja ofertada uma semente apenas a cada 10 quilos, iniciando aos 12 meses e 10 quilos de peso.

A geleia real iniciamos apenas aos 13 meses em razão da regra de cautela quanto à oferta de mel para menores de 12 meses, pelo risco de botulismo. Mesmo não se tratando de um subproduto do mel, preferimos não arriscar e aguardar até os 13 meses. Luisa toma uma medida do tamanho de uma unha do dedo mínimo todos os dias, pela manhã, em jejum.

Os benefícios da geleia real são inúmeros e vão desde o reforço da imunidade, passando pelo combate a diversas patologias e chegando à promoção da neurogênese, ou seja, o surgimento de novos neurônios.

Eis algumas publicações sobre o tema:

Quanto ao cacau, também são inúmeros os seus benefícios. Como já postei sobre o tema no grupo de discussão do blog, vou colar os posts, para facilitar.

Na ilustração do post, uma foto de que gosto muito, de Luisa, aos 13 meses, passeando na calçada com seu andador, enquanto o vento inflava seu vestido (a imagem saiu cortada porque não sei editar…vou pedir ajuda a quem sabe – que lástima de blogueira hehehehehe)

SOBRE O CACAU: PARTE I – O PODER ANTIOXIDANTE DOS POLIFENÓIS

A semente seca de cacau tem 6 a 8% de compostos fenólicos ou polifenóis em sua composição. Como já comprovado por diversos estudos científicos, os polifenóis possuem uma potente atividade antioxidante na prevenção de reações oxidativas e de formação de radicais livres, promovem proteção contra danos ao DNA das células, possuem excelente ação anti-inflamatória, anticarcinogência, antitrombótica, antimicrobiana, analgésica e vasodilatadora.

Por todas essas razões, mas, especialmente pela qualidade da atividade antioxidante, o cacau é um alimento com boa indicação pra síndrome de Down. Mas o processo para retirar a adstringência e o amargor do cacau (processo de fermentação e alcalinização), permitindo a prevalência do sabor do chocolate, destrói uma boa parte dos polifenóis presentes na semente do cacau, o que reduz seu potencial antioxidante.

Por essa razão, se o objetivo for a ação antioxidante do cacau, é melhor dar a semente seca e crua do que a processada na forma de nibs ou mesmo o chocolate em pó.

Algumas observações, no entanto, se fazem necessárias.
1. O cacau possui algum oxalato. Perguntei ao Rogério Lima o que ele tinha sobre a quantidade de oxalato do cacau, se inviabilizava o consumo, se era melhor eu tirar o leite de avelã etc, várias dúvidas. Ele me enviou dois artigos que me tranquilizaram:

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0889157511000822

http://www.lowoxalateinfo.com/top-six-reasons-why-some-people-accumulate-high-levels-of-oxalate/

2. O ********  da ******  está com o HDL alto e a pediatra mandou suspender o cacau, então parei um pouco para procurar se achava algo que demonstrasse, com mais riqueza de detalhes, a relação entre HDL e cacau. Achei essa revisão super bacana, em português, bem simples, didática, que apresenta, entre as pesquisas listadas, uma que associa a ingestão diária de 10 gramas de chocolate em pó, por 12 semanas, a um aumento de até 23% no HDL.

https://www.dropbox.com/s/lgg0qrcxg6hmr72/REVIS%C3%83O%20-%20POLIFEN%C3%93IS%20EM%20CACAU.pdf?dl=0

3. Eu uso o semente seca e crua de cacau orgânico vendida pela Denilce no Empório Viver Bem. Porém, é necessário informar que os produtos orgânicos possuem um teor pouca coisa mais elevado de antinutrientes. No entanto, colocando tudo na balança, prefiro tomar medidas para lidar com o pouco oxalato presente no cacau orgânico do que usar a semente sujeita à ação de pesticidas.

SOBRE O CACAU – PARTE II.1: REGULAÇÃO DO SONO REM. A AÇÃO DO TRIPTOFANO SOBRE O SISTEMA GABAÉRGICO

Das situações mais recorrentes entre as pessoas com síndrome de Down, os distúrbios de sono têm vários motivos ou causas, dentre eles a alteração no funcionamento do sistema GABAérgico. Este é um sistema inibitório por excelência do Sistema Nervoso Central e é formado por neurônios que contém ácido gammaminobutírico (GABA). Os neurônios GABAérgicos se encontram distribuídos por todo o SNC e atuam através de dois tipos de receptores, GABA A e GABA B, os chamados ‘receptores GABA’.

Nas pessoas com síndrome de Down existe a triplicação de um gene que, por atuar diretamente no sistema GABAérgico, causa alterações nas funções dos receptores GABA (o gene triplicado é o Kcnj6, que, segundo o Rogério Lima, superexpressa a proteína GIRK2 (G protein-activated inward rectifying potassium channel subunit 2). Rogério indicou este artigo como referência para o assunto – http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1054358910580153 – o detalhamento dessa situação será feito em outro post)

Esta alteração nas funções dos receptores GABA, entre outros coisas, desorganiza o sono REM, causando em muitas pessoas com síndrome de Down um quadro de Transtorno de Comportamento do Sono REM. Em uma revisão de 2010 publicada na Revista Brasileira de Neurologia, este Transtorno é assim descrito: ‘ É um distúrbio comportamental do sono,
caracterizado pela perda da atonia
muscular que ocorre normalmente durante o sono REM, acarretando um aumento da atividade muscular fásica e
comportamentos motores complexos’.
Eis a revisão: https://www.dropbox.com/s/1yjmhuth0je51jc/a003.pdf?dl=0

Essas poucas linhas descrevem a agitação durante o sono das pessoas com síndrome de Down, que mudam de posição incessantemente, saem da cama, sentam etc etc etc.

Nesta mesma revisão, recebemos a informação de que o triptofano, ou sua forma sintética, o L-triptofano, por ser precursor da serotonina, é uma das alternativas para regular o sono REM. E devemos buscar essa regulação porque os distúrbios do sono trazem inúmeros prejuízos, inclusive cognitivos, às pessoas, quer tenham ou não síndrome de Down. Esses prejuízos serão melhor detalhados no post sobre o sistema GABAérgico.

Diz o artigo, sobre a serotonina, que: ‘Serotonina (5-HT2c), o l-triptofano, um precursor da 5-HT, aumenta sono NREM e reduz a latência para o sono. Uma concepção moderna assume
que a 5-HT liberada como neurotransmissor durante a vigília pode atuar como neuro- hormônio e induzir síntese ou liberação de fatores
hipnogênicos, exercendo um papel tanto no sono NREM como no REM.’

Assim, alimentos ricos em triptofano, como o cacau, são uma excelente possibilidade na busca da solução dos distúrbios de sono decorrentes da superexpressão do gene Kcnj6, triplicado pela trissomia do cromossomo 21.

SOBRE O CACAU – PARTE II.2: OS OUTROS BENEFÍCIOS DO TRIPTOFANO

Como já vimos no post anterior, o triptofano é precursor da serotonina, que é um neurotransmissor que impacta positivamente o sistema nervoso central na dinâmica do sono, regulando, entre outras situações, o sono REM.

Além desse efeito, que é super importante para as pessoas com SD diante do papel do sono REM em situações como o crescimento, por exemplo, a serotonina também promove a agregação plaquetária, a vasoconstrição, atuando na mediação da hemostasia. É também um neurotransmissor excitatório da musculatura lisa tanto perifericamente, quando centralmente, estimulando a peristalse intestinal ou motilidade. Como também é um neurotransmissor central, ajuda a regular o comportamento, humor, apetite, percepção da dor, termorregulação, funções sexuais, controle motor, agressividade e controle respiratório e cardíaco, além do sono, como já visto.

Como absolutamente tudo, o excesso de serotonina é prejudicial, pois, pode originar um quadro patológico chamado de Síndrome Serotoninérgica. Portanto, é necessário bom senso na ingestão diária de triptofano.

Felizmente existe um texto-aula em português (de Portugal), link abaixo, que explica minuciosamente o funcionamento das sinapses e a ação dos neurotransmissores, texto esse que nos ajuda a compreender o mecanismo dos benefícios trazidos pelo triptofano às pessoas com SD.

https://www.dropbox.com/s/o21uiz5qab1dz8k/neurotransmissores.doc?dl=0

13 comentários em “O cacau e a geleia real”

  1. Gisele, encontrei um pé de cacau pertinho da minha casa aqui em Bh. Como devo proceder para dar a semente p meu filhote? Sei que devo colocar no sol p secar. Precisa colocar de molho, torrar?

      1. Obrigada Gisele! Depois de torrada devo colocar de molho as duas sementes, o João tem 25kg, para colocar na vitamina e dar no café da manhã?

  2. Oi Gisele

    Recentemente descobri o seu blog e tenho lido de forma dedicada os seus relatos.

    Tenho um filho recem nascido com down e ainda estou aprendendo sobre terapias e estimulacoes.

    Falando especificamente de suplementação gostaria de saber qual é a duração dos alimentos q vc insere na dieta da sua pequena. Como funciona isso? Os alimentos inseridos por quanto tempo vc mantem e como isso é decidido?

    Desde ja, obrigado pela atenção!

    1. Oi Bruno,

      Parabéns pelo seu bebê. Geralmente, quando um alimento entra na dieta da Luisa, permanece. Eu o retiro ou troco por outro apenas se houver uma razão para essa retirada. Por exemplo, o cacau. Luisa tomou na sua vitamina matinal uma semente de cacau triturada até uns dois anos e meio (ela fez três anos dia 14/04 agora). Suspendi o cacau porque ela tem alergias alimentares que causavam distensão abdominal. Se tinha distensão, é porque o sistema digestivo estava inflamado. Nessa situação, o triptofano presente no cacau deixa de ser metabolizado e isso não é bom, portanto, foi preciso suspender o cacau.

      Para introduzir um alimento eu decido com base no tipo de antinutrientes que ele contém. Procuro afastar os alimentos cujos antinutrientes interfiram muito na absorção de minerais, porque Luisa tem uma demanda muito grande por minerais.

      Afasto também os alimentos que comprovadamente oferecem riscos, como o glúten e outros, cm base em publicações científicas consistentes. Existe um grupo secreto daqui do blog no Facebook, onde já existem posts fundamentados em publicações científicas sobre esses antinutrientes e suas interações metabólicas. Se vc tiver interesse posso incluir vc lá.

      Abraços

  3. Oi Gisele

    Obrigado pela atenção. Por mais que os estudos sejam consistentes… como vc mede a eficácia dessa dieta?

    Vc acha que essa dieta é sustentável ao longo do tempo, tendo em vista q é bem rigida e requer bastante disciplina para mante-la… principalmente se tratando de uma criança?

    Por fim, eu vi um comentário seu sobre o Dr Zan ser contra suplementação. Ele explicou o motivo? Pergunto, pois tenho uma primeira consulta com ele no final do ano.

    Sobre o grupo do fb..gostaria de participar sim. Como faço?

    Obrigado e parabéns a Luisa pelos 3 aninhos.

    1. Oi Bruno,

      Considero a dieta totalmente sustentável. Ao longo desses três anos adaptamos a nossa alimentação também. Com o tempo as coisas entram no automático. A menor dificuldade é com a Luisa, porque ela nunca comeu o que retiramos. A maior dificuldade é mudar os hábitos alimentares dos outros filhos. Quanto ao Dr. Zan, ele é radicalmente contra a suplementação. Sua linha és reposição de nutrientes apenas via alimentação. Considera o EGCG hepatotóxico, considera que o 5HTP presente no Nutrivene Night pode causar a morte das crianças, considera que o ginkgo biloba pode causar Moya Moya e considera que a absorção e metabolização de vitaminas e minerais sintéticos é reduzida, razão pela qual é ineficaz repô-los pela via da suplementação.

    2. Esqueci de falar como meço a eficácia. Luisa faz exames laboratoriais de seis em seis meses e tem um ótimo desenvolvimento. No seu primeiro ano na escola, iniciados aos 1 ano e 8 meses, Luisa teve apenas uma única falta o ano todo. Uma apenas. O sono está ajustado, não é respiradora oral, a distensão abdominal está controlada, o nistagmo está completamente curado após a suplementação de ômega 3 (quando a literatura afirma que nistagmo não tem cura), as estereotipias suavizam bastante quando fazemos detox, enfim, a lista é imensa. O que tem nos preocupado são as alergias, que surgem conforme introduzimos novos alimentos.

  4. Oi Bruno,

    Meu perfil é esse mesmo. Vou ver o que aconteceu já já. Eu compro os suplementos direto do site da Nutrivene, que entrega no Brasil. Os que não são da Nutrivene o meu amigo Thiago Holanda, de Fortaleza, pai do Levi, pede pra mim pelo Shipito, sempre que vai comprar os dele.

    E não precisa se desculpar, pode perguntar o quanto vc quiser e precisar.

    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s