A HIPÓTESE DA APRAXIA DA FALA

Após os dois anos da Luisa, em abril de 2016, uma das situações que me chamaram atenção foi o desaparecimento de palavras que ela já esboçava ou mesmo falava do seu jeitinho, o que me soou como um alerta para a Apraxia da Fala na Infância e, conversando com a Patrícia, Elza, Danubia, Virginia e outras mães da Associação Singularidade Down, por ser um assunto que interessava a muitas famílias, resolvemos trazer a Drª Elizabeth Giusti, fonoaudióloga radicada em SP e especialista em AFI e SD, para uma formação e consultoria sobre Apraxia da Fala na Infância. Muitos profissionais da minha cidade participaram da formação e eu pude confirmar que, sim, Luisa tinha uma hipótese diagnóstica de Apraxia.

Em setembro de 2016, o vocabulário da Luisa estava resumido a cinco palavras, quase todas monossilábicas. Apenas a babá ela chamava por um dissílabo (Dedé). Tudo que ela queria nomear, alentava e dizia “esse”, e nem pode contar como dissílabo porque era apenas “ess” “Papai” era “pá”, mas “pato” também era “pa”, como podemos ver no vídeo abaixo:

E “mamãe” desapareceu. Era uma vitória quando conseguíamos que ela falasse “pão” ou outras palavrinhas.

Eis um vídeo bem pequenininho que mostra só um trechinho de uma das “sagas pra falar pão”, em que eu até consigo que ela diga a palavra, porém, sem som:

 

Como o diagnóstico de Apraxia, segundo a Drª. Elizabeth Giusti, só ocorre de fato após os 3 anos, não era possível um diagnóstico conclusivo de Apraxia, mas apenas estabelecer uma hipótese diagnóstica, ao lado de um atraso geral na fala, que parece caracterizar a própria síndrome de Down, com as exceções necessárias a tudo que se estabelece como regra.

Luisa também deixou de responder com vocalizações, sons em geral. Passou a ser frequente que ela não respondesse às interações, como nesse vídeo, em que ela até atende ao comando de arrumar os óculos, mas se resume a isso sua interação:

Tudo bem que ela estava comendo e comida é um assunto muito importante, sagrado mesmo, quando se trata da Luisa, mas essa resposta silenciosa se tornou cada vez mais frequente em nossas interações. A NÃO SER, que estivéssemos diante de uma das manifestações do gênio forte dela, porque nessa hipótese, aí sim ela “falava”, como nesse vídeo da Branca de Neve aborrecida porque não podia subir sozinha as escadas para o segundo andar do consultório da fono e por isso estava fazendo confusão:

Nesse mesmo mês de setembro de 2016, diferente do relatório sobre o primeiro trimestre escolar, o relatório de avaliação da escola referente ao segundo trimestre confirmou o atraso na fala:

Era, então, chegada a hora de buscarmos outras alternativas, outras abordagens terapêuticas e outros caminhos, mais adequados e específicos às questões de Apraxia. Buscamos uma fonoaudióloga mais familiarizada com o tema, buscamos a Integração Sensorial com um terapeuta ocupacional especializado  e iniciamos na medicina quântica, o que fica como assunto para outras postagens.

Como sempre, Rogério foi muito parceiro, preparando uma relação de publicações que me ajudaram a compreender melhor o assunto e a definir os passos seguintes. Esse cuidado foi fundamental e a minha dívida com o Rogério cresce em progressão geométrica. Muita gratidão.

 

2 comentários em “A HIPÓTESE DA APRAXIA DA FALA”

  1. Obrigada Gisele pelo importante compartilhamento.
    Estava com saudade de suas postagem, como sempre muito esclarecedoras, sempre alternativas muito bem fundamentadas de possibilidades e caminhos frente a desafios nos trazido pelos resultados da SD na vida de nossos filhos.
    Essa ainda não se aplica de forma direta, pelo menos porquanto, ao meu pequeno Calebe que tem 1 ano e 10 anos, mas sem dúvida trás um olhar atento ao desenvolvimento da linguagem dele, a partir de um referencial confiável, profundo e empenhado, o seu.
    O modo também como foi organizado, com explicação teóricas, exemplificadas por videos, facilita por demais a compreensão, e torna ao algo tão complexo, simples e fácil de assimilar, entender e aplicar. Parabéns por essa didática.
    Mais uma vez obrigada por facilitar minha compreensão de questões da SD.

  2. Adna,

    Muito obrigada pelo seu comentário, esse retorno é muito gratificante. A vida anda muito corrida, mas eu me comprometi a atualizar o blog, então tentarei deixá-lo menos atrasado nos próximos dias. Obrigada pela sua companhia nessa caminhada.

    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s